Os benefícios reais da ingestão diária de colágeno hidrolisado

O colágeno hidrolisado é uma proteína que dá sustentação às células da pele, dos ossos, das cartilagens e dos ligamentos e tendões. É naturalmente encontrado no corpo humano, mas o organismo perde progressivamente a capacidade de produção ao longo da vida.

Ao mesmo tempo, o avanço da idade também leva a mudanças estruturais que tornam alguns sinais de envelhecimento mais visíveis, como a formação de rugas e a flacidez. É comum que as pessoas associem esses dois fenômenos e passem a tomar suplementos de colágeno.

A maioria, no entanto, espera que as marcas da idade desapareçam. Acontece que a solução não é imediata nem milagrosa, por isso, muitos se tornam descrentes dos benefícios do colágeno. Mas a verdade é que a suplementação é, sim, de grande ajuda na reposição de estruturas colagênicas e traz inúmeras contribuições para a pele.

Neste artigo, você descobrirá quais são os reais benefícios do colágeno hidrolisado e como pesquisas científicas vêm provando sua ação positiva na estrutura da pele e seus anexos. Confira!

O que é o colágeno hidrolisado?

O colágeno é uma proteína, isto é, uma macromolécula constituída por cadeias de aminoácidos, presente em nosso organismo. Aliás, é a mais abundante — representa cerca de 30% do total de proteínas do corpo humano.

Provavelmente, você já ouviu falar do colágeno porque faz parte da composição de cremes antirrugas e de outros produtos de beleza. Isso se deve à sua principal função, que é a de garantir elasticidade e resistência aos tecidos conjuntivos, como:

  • pele e seus anexos (unhas, pelos e glândulas);
  • cartilagens;
  • ossos e dentes;
  • tendões e ligamentos;
  • músculos;
  • córnea e suas camadas.

Existem diversos tipos de colágenos — do I ao XII, desnaturado e hidrolisado —, cada um responsável por alguma atividade específica. O tipo I, por exemplo, forma fibras e feixes na cartilagem fibrosa. O colágeno hidrolisado, por sua vez, é o mais procurado por seu efeito rejuvenescedor.

Esse último nada mais é do que uma macromolécula de colágeno que passou pelo processo de hidrólise — quando uma longa cadeia de aminoácidos é quebrada devido à absorção de uma molécula de água. Se a proteína passa pela hidrólise repetidamente, deixa de ser uma macromolécula e vira uma série de fragmentos proteicos.

Como o colágeno hidrolisado age?

Como o colágeno hidrolisado é constituído de fragmentos bem pequenos, o organismo consegue absorver de maneira mais rápida e eficiente os vários aminoácidos da proteína, como sais minerais e vitaminas, principalmente a vitamina C.

Entre as principais ações que a quantidade ideal de colágeno promove no organismo estão:

  • a sustentação estrutural dos tecidos conjuntivos;
  • a elasticidade e firmeza da pele;
  • a proteção das articulações e dos ossos (inclusive, está associado à redução no risco de desenvolvimento da osteoporose);
  • a prevenção do surgimento de estrias e celulites;
  • a potencialização dos processos cicatrizantes;
  • o fortalecimento de unhas e cabelos;
  • a diminuição da flacidez.

O problema é que, a partir da idade adulta e sobretudo com a chegada dos 50 anos, o organismo perde progressivamente a sua capacidade de produzir essa proteína. Como resultado, alguns sinais do envelhecimento se tornam ainda mais visíveis e é justamente por isso que muitas pessoas buscam suplementação.

Para as mulheres, a produção de colágeno diminui ainda mais após a menopausa, pois a perda da capacidade reprodutiva é sinônimo de queda nos níveis de alguns hormônios, especialmente o estrogênio. Essas alterações atrapalham a distribuição da proteína pelo corpo.

O colágeno corrige sinais de envelhecimento?

Como citamos na introdução deste texto, é comum que as pessoas busquem suplementos de colágeno esperando correções instantâneas nos sinais de envelhecimento — até porque os seus benefícios em relação à elasticidade e à firmeza da pele são muito difundidos.

No entanto, não estamos falando de um remédio, mas, sim, de um componente natural que contribui para a ligação das células dos tecidos. Portanto, os efeitos não são imediatos, mas graduais. Os benefícios acontecem porque o suplemento funciona como uma fonte de aminoácidos que ajuda o organismo a produzir novas moléculas de colágeno.

Então, podemos até dizer que o colágeno hidrolisado corrige sinais de envelhecimento, mas o mais indicado é evidenciar o seu papel na base estrutural dos tecidos e como ele contribui para a saúde e a estética da pele no longo prazo.

Isso tudo depende, claro, da necessidade que o corpo tem em repor estruturas colagênicas. Os resultados de uma suplementação também estão associados à disponibilidade de outros componentes indispensáveis para a produção de colágeno pelo corpo, como vitaminas e minerais, principalmente:

  • as vitaminas A, B6, C e E;
  • o manganês;
  • o selênio;
  • o zinco, entre outros.

Além disso, a saúde do organismo interfere na distribuição dos fragmentos proteicos. Por exemplo, ao sofrer uma fratura óssea, mesmo que a pessoa esteja tomando suplementos de colágeno hidrolisado com o objetivo de minimizar rugas, o corpo dará prioridade à cicatrização e à restauração da estrutura do osso que sofreu danos.

Quais são os benefícios reais do colágeno hidrolisado?

O colágeno hidrolisado consegue atravessar as barreiras do intestino e atingir a corrente sanguínea, de modo a agir ativamente nas camadas mais profundas da pele. A suplementação diária é capaz de neutralizar e até de corrigir (no longo prazo) os efeitos associados à idade.

Os resultados de um estudo científico conduzido com 294 indivíduos em 2014 comprovam isso. Na pesquisa, realizada por dermatologistas de vários países, os voluntários foram divididos em três grupos e passaram por tratamentos diferentes.

O primeiro grupo continha 217 voluntários entre 23 e 69 anos, todos com sinais de envelhecimento e rugas, e fizeram a ingestão de colágeno hidrolisado por meio de suplemento oral por 60 dias ininterruptos. Após o período, 69% dos participantes apresentaram melhora significativa nas linhas faciais.

Além disso, 82% notaram a pele visivelmente mais hidratada e 37% perceberam uma melhora notável na profundidade da dobra nasolabial — um dos efeitos de envelhecimento indicados pelo grupo no início do tratamento.

No grupo dois, 10 voluntários consumiram o suplemento líquido diariamente por 12 semanas, a fim de verificar a densidade do colágeno produzido pelo organismo (com auxílio de um ultrassom de alta resolução) e seus reflexos na diminuição da flacidez e das linhas de expressão.

Após o tratamento, a região dos “pés de galinha” teve uma melhora significativa, com aumento da densidade colagênica em cerca de 19%. No antebraço dos voluntários, o colágeno também se tornou mais denso em 12%, o que diminuiu significativamente a flacidez da pele.

No terceiro grupo, 67 voluntários consumiram o suplemento por 130 dias sem interrupções. A firmeza da pele foi medida com o auxílio de um recurso objetivo e os valores médios nas marcas de 50, 80 e 130 dias de tratamento foram analisados.

Do total, 37% dos participantes que tomaram colágeno hidrolisado líquido notaram mais firmeza na pele somente após 80 dias de tratamento. Essa porcentagem subiu para 94% na marca dos 130 dias (18,5 semanas), o que demonstra que os efeitos da suplementação são mais visíveis no longo prazo.

Além disso, o estudo indica que alguns indivíduos não receberam o produto testado a fim de que o fenômeno do placebo fosse verificado. De acordo com os resultados, 40% dos voluntários que realmente consumiram o suplemento notaram um aumento global significativo na elasticidade da pele, quando comparado com os participantes do placebo.

Para confirmar ainda mais a veracidade dos benefícios do colágeno hidrolisado, os questionários de autopercepção foram complementados com análises histológicas de biópsias de pele. Os exames indicaram mudanças positivas na arquitetura dérmica com o uso contínuo do suplemento.

As biópsias indicaram que os voluntários tiveram redução na elastose solar — enrugamento da pele devido à exposição excessiva ao sol — e que as fibras de colágenos estavam mais organizadas nas camadas de pele ao fim do tratamento.

Como deve ser feita a ingestão do suplemento?

Uma alimentação rica em colágeno é de grande ajuda na reposição dessa proteína no organismo. As carnes brancas e vermelhas e a gelatina são alguns dos alimentos mais úteis nesse sentido. No entanto, para ter uma melhor absorção, o ideal é que a proteína seja hidrolisada — é aí que entram os suplementos.

As macromoléculas colagênicas são extraídas das cartilagens e dos ossos bovinos. Depois, são submetidas ao processo de hidrólise para a formação dos fragmentos proteicos.

Como é considerado um suplemento alimentício pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), não exige prescrição médica. O colágeno hidrolisado pode ser encontrado em cápsulas ou em pó, forma em que é absorvido mais rapidamente pelo organismo.

Vale lembrar que a suplementação é pouco eficiente quando não há uma dieta equilibrada. Afinal, a proteína não é o único ingrediente necessário para a boa saúde dos tecidos conjuntivos. A eficácia depende de refeições adequadas para que não haja deficiência em outros grupos nutricionais nem excesso de outras substâncias.

Altos níveis de açúcar, por exemplo, permanecem nos tecidos e não se degradam facilmente. A glicose pode afetar os fibroblastos da derme e, com isso, alterar a quantidade ou a qualidade na produção de fibras colagênicas.

Como você viu, o colágeno hidrolisado é muito útil no rejuvenescimento da pele. Porém, diferentemente do que, em geral, se acredita, os resultados são graduais e dependem de um tratamento longo, pois trata-se de uma melhoria contínua na estrutura da pele e de seus anexos.

O artigo foi útil? Ótimo! Então, compartilhe o post nas suas redes sociais para que mais pessoas aprendam sobre o assunto!

Conheça nosso GOLD COLÁGENO!

 

 

Você pode gostar...

Comentários no Facebook