Você sabe o que é compulsão alimentar? Entenda agora!

Comer muito, mesmo quando não há fome, alimentar-se muito rápido e até começar a se esconder para continuar comendo: reconhece alguns destes sintomas? Muitas pessoas não sabem o que é compulsão alimentar, nem como identificá-la. Esses comportamentos geralmente vêm acompanhados de uma sensação de culpa e autodepreciação.

Afinal, a compulsão significa exatamente isso: não ter controle sobre os impulsos alimentares. A pessoa não consegue parar e não se sente bem por isso, podendo chegar a consequências físicas, como desconforto estomacal, ganho de peso e náuseas. Mas o que ocasiona esse problema? Como preveni-lo ou tratá-lo? Continue a leitura para saber!

Por que a compulsão alimentar acontece?

Assim como boa parte dos distúrbios alimentares, o transtorno da compulsão alimentar (TCA) pode ter raízes emocionais. Baixa autoestima, estresse e insegurança são alguns dos causadores deste problema que pode evoluir para obesidade, além de facilitar o aparecimento de condições como:

  • diabetes;
  • hipertensão;
  • insuficiência respiratória;
  • gastrite;
  • bulimia nervosa etc.

Problemas emocionais

Quando estamos com algum desequilíbrio emocional — seja a tristeza ou mesmo a euforia —, pode haver impactos nos hábitos alimentares. Algumas pessoas perdem completamente o apetite, enquanto outras tendem a comer mais do que o normal. Nesse último caso, o quadro pode evoluir para uma compulsão.

De acordo com um artigo publicado pela Revista Latino-Americana de Enfermagem, “evidências apontam para a importância dos déficits emocionais e fatores estressantes no desenvolvimento da compulsão alimentar”. Entram na lista de gatilhos para o desenvolvimento do TCA a depressão, o estresse e a ansiedade.

Dietas restritivas

No mesmo sentido dos problemas emocionais, a insegurança com o próprio corpo e a obsessão pela imagem física podem levar à busca por dietas restritivas. Acontece, então, um paradoxo: enquanto se esforça para perder peso a qualquer custo, a pessoa pode desenvolver impulsos descontrolados pela comida, sem saber o que é compulsão alimentar.

É o caso de quem se priva completamente de algum grupo de alimentos, como doces ou carboidratos, em favor de um regime rígido. Depois, “desconta” a privação comendo descontroladamente.

Como prevenir e tratar a compulsão alimentar?

A compulsão alimentar é tratada como um transtorno mental e, como tal, deve ser acompanhada por profissionais qualificados. Uma equipe multidisciplinar, com psicólogos, nutricionistas e psiquiatras ajuda a identificar a raiz do problema e tratá-lo de forma eficaz.

A seguir, listamos alguns hábitos e cuidados que podem ajudar a prevenir e tratar o transtorno.

Encontrar a raiz do problema

Se você perceber que está perdendo o controle sobre os impulsos alimentares, é hora de analisar sua saúde emocional e física para identificar a possível causa. Desse modo, ficará mais fácil buscar ajuda especializada, antes que o quadro evolua.

Buscar auxílio profissional

Dependendo do grau de compulsão alimentar, a pessoa precisa passar por tratamentos psicoterápicos para conseguir superar o quadro. A partir de um diagnóstico clínico, a compulsão pode ser tratada de forma direcionada e, muitas vezes, com o auxílio de medicamentos.

Exercitar-se regularmente

Os exercícios físicos ajudam a manter o metabolismo funcionando corretamente. Assim, contribuem para a prevenção da compulsão alimentar por duas vias: primeiro, porque ajudam a manter as funções do organismo em dia, evitando o apetite desregulado, por exemplo.

Por outro lado, as atividades físicas também são grandes aliadas da manutenção do bem-estar e do equilíbrio emocional. Não é à toa que os exercícios são até prescritos para a melhora nos sintomas da depressão. As respostas químicas e físicas no corpo ajudam a driblar problemas de ordem emocional.

Agora que você sabe o que é compulsão alimentar, viu que o problema é sério. Se não for tratado, pode ocasionar o surgimento de obesidade e de algumas doenças. O transtorno é indicativo de desequilíbrios emocionais que merecem muita atenção. Por isso, é importante reconhecê-lo e buscar ajuda especializada.

Quer ficar por dentro de outros conteúdos sobre saúde, bem-estar e qualidade de vida? Então, assine a nossa newsletter para não perder nenhum post!

Você pode gostar...

Comentários no Facebook