Cisteamine: revolucionário Clareador para pele!

Cisteamine se tornou um clareador para pele de grander destaque nos consultórios de dermatologistas. O fato é que a pele uniforme e sem manchas é o desejo de muita gente. Não é incomum que áreas como o rosto e as mãos fiquem com marcas no decorrer da vida, por vários motivos. É por isso que a procura por produtos com efeito clareador para pele é alta.

Mas você sabe do que eles são feitos e como agem? É justamente sobre isso que vamos falar neste post! Acompanhe e conheça alguns detalhes sobre os clareadores, além de conferir o que faz do Cisteamine um produto revolucionário no segmento!

Clareadores de pele: o que são e como funcionam?

Um produto clareador para pele nada mais é que uma formulação capaz de amenizar manchas. As marcas avermelhadas ou em tons de marrom podem aparecer em qualquer momento da vida, e afetam principalmente áreas mais sensíveis, como o rosto, o colo e as mãos.

Elas podem ser resultado de um processo de cicatrização — como no caso de acne ou de estrias —, ou, ainda, decorrentes de um desequilíbrio na produção de melanina, o pigmento responsável por dar cor à pele. É comum que alguns fatores promovam a pigmentação desregulada, como:

  • alterações hormonais quaisquer (melasma);
  • alterações hormonais típicas da gravidez (cloasma);
  • exposição excessiva ao sol (melanose);
  • envelhecimento precoce da pele;
  • tendências genéticas a disfunções no melanócito (célula que produz melanina).

Principais possibilidades de clareamento da pele

Além de cremes e géis, existem tratamentos mais duradouros e com resultados visíveis em menos tempo — mas que só podem ser realizados com encaminhamento médico e com produtos e equipamentos profissionais. São exemplos:

  • peeling químico: utiliza ácidos que “queimam” a camada superficial da pele na área manchada, o que estimula o crescimento de células novas e uniformes;
  • laser CO2: o laser com emissão de dióxido de carbono atinge camadas um pouco mais profundas da derme e consegue clarear os sinais decorrentes de envelhecimento solar e cicatrizes;
  • fototerapia: por meio da incidência de ondas eletromagnéticas de baixa frequência — em uma técnica conhecida como Luz Intensa Pulsada (IPL) —, a fototerapia promove a vasodilatação e ameniza manchas.

Apesar de terem bons resultados, esses tratamentos são caros e mais agressivos para a pele. Entre os possíveis efeitos colaterais estão:

  • o desencadeamento de um processo inflamatório, que inclui vermelhidão, coceira e ardência;
  • o temido “efeito rebote”. Isto é, quando a pele se defende da agressão gerando mais moléculas de melanina, o que leva ao agravamento da mancha.

Substâncias usadas no clareamento da pele

É por conta dos riscos dos tratamentos citados que os cosméticos são muito procurados. Mesmo com uma ação um pouco mais lenta, eles são suaves, por isso, não agridem tanto a pele, além de serem mais acessíveis financeiramente.

Apesar de apresentarem fórmulas diferentes, esse nicho de mercado conta com produtos que trazem, basicamente, um destes três ativos de clareamento da pele: o ácido retinoico, o ácido kójico ou a hidroquinona. Veja!

Ácido Retinoico

É um composto que deriva da vitamina A. O ácido aumenta a produção de colágeno e atua na ligação de receptores nucleares da pele. Com isso, ameniza rugas e manchas e é bastante conhecido pelo efeito rejuvenescedor.

Apesar de ser eficaz, o retinol pode causar hipersensibilidade ao sol. Por isso, não é indicado para pessoas que se expõem à luz solar com frequência, pois isso pode manchar mais.

Ácido Kójico

O Ácido Kójico, por sua vez, é um despigmentante natural produzido a partir de um cogumelo do Japão — ele inibe a ação da enzima que coopera com a formação da melanina. Ao contrário do retinol, ele pode ser usado durante o dia ou antes da exposição solar.

A desvantagem desse ativo é que, como ele inibe a formação de novas moléculas de melanina, seu efeito é mais preventivo que corretivo. Além disso, em locais com pouca quantidade dessa substância, como os mais avermelhados, os resultados quase não são notáveis.

Hidroquinona

A Hidroquinona é um composto orgânico que favorece e despigmentação da pele nas áreas afetadas por manchas. O agente já foi usado largamente no Brasil e no mundo, no entanto, a grande quantidade de efeitos colaterais fez com que o ativo perdesse a popularidade.

Em primeiro lugar, ela é muito conhecida pelo efeito rebote. Em decorrência do tratamento, há uma hipersensibilidade ao contato com a luz que faz com que o paciente fique mais propenso a desenvolver outras manchas.

Além disso, o ativo foi apontado como responsável de coceiras, descamação, ressecamento e vermelhidão da pele. Em 2006, a Food and Drug Administration (FDA), dos EUA, propôs a proibição da venda de Hidroquinona em farmácias, devido às suspeitas — ainda não comprovadas — de ação cancerígena.

Para quem esses produtos são indicados?

Qualquer pessoa que sofre com manchas pode fazer uso de um clareador para pele. A proposta dos produtos é justamente a de suavizar o escurecimento nas áreas selecionadas e de prevenir o aparecimento de novas marcas.

Normalmente, os tratamentos são procurados por mulheres que desenvolveram cloasma na gravidez, ou por indivíduos de qualquer sexo que tiveram uma superprodução de melanina por algum motivo.

A exposição solar excessiva é uma das principais causas, portanto, pessoas que vivem em locais muito ensolarados, que praticam esportes, que frequentam muito a praia etc., sem a devida proteção, são mais atingidas. Por isso, vale a pena reforçar a necessidade de usar filtros solares adequados para cada tipo de pele.

Como escolher o clareador de pele ideal?

Para iniciar um tratamento, o mais indicado é visitar um médico dermatologista para que seja prescrito um produto com o ativo ideal para o tipo de mancha e de pele. No caso da fototerapia, do peeling e dos lasers, a atuação de um profissional é indispensável.

Para quem vai optar por ações menos críticas, os cosméticos são a melhor opção. Existem produtos com as mais diversas finalidades: rejuvenescer, amenizar marcas de sol, diminuir manchas, uniformizar o tom de pele, e por aí vai.

Por isso, vale a pena experimentar alguns — que você pode escolher nas prateleiras, pedir indicação de conhecidos ou de profissionais — para avaliar qual se dá melhor com a sua pele. Além disso, também dá para combinar mais de um cosmético por vez, uma boa solução para quem tem mais do que um objetivo em mente.

Mas vale lembrar: esses produtos servem para prevenção e para uma reparação muito sutil. Por isso, a aplicação deve ser regular — na maior parte dos casos, os resultados começam a aparecer somente após algumas semanas de uso.

Compras on-line

Se o que você busca é praticidade, hoje em dia, é fácil comprar um clareador para pele virtualmente. Desse modo, você tem vantagens como a comodidade, a possibilidade de comparar produtos e ofertas com mais facilidade e a opção de encomendar cremes do exterior.

Para tanto, uma boa dica é jogar o nome do clareador de seu interesse no buscador e, então, recorrer à guia “Shopping”. Ali, aparecem os resultados mais relevantes para sua pesquisa. Você ainda pode filtrá-los por preço ou por avaliações de outros usuários.

Outra forma é entrar diretamente no site das drogarias e farmácias de manipulação de sua confiança. Nas páginas, é comum que haja a lista de produtos em estoque e uma lupa para pesquisa de termos-chave.

Por último, há a possibilidade de buscar os sites dos fabricantes dos produtos. Essa é uma boa para tirar dúvidas sobre a composição dos cremes e conferir mais detalhes da formulação.

Se não houver a opção de realizar a compra na página, possivelmente haverá alguma guia de “Saiba onde comprar”, com uma lista dos locais em que o item é comercializado.

O que é o Cisteamine?

Depois de conferir as principais causas para o aparecimento de manchas e ativos para o combate do problema, está na hora de conhecer o Cisteamine. Como você viu, a maioria dos agentes usados com o objetivo de uniformizar tons têm algum efeito colateral ou contraindicação.

O Cisteamine, por outro lado, é um clareador para pele totalmente natural, pois é feito com um composto presente no corpo humano. Ele é capaz de reduzir a produção de melanina por meio da metabolização de cisteína, um dos aminoácidos mais abundantes do corpo.

Inicialmente, o composto era utilizado para o tratamento médico de pacientes com cistinose nefropática — uma doença caracterizada pela mutação no gene que codifica a cisteína. Na década de 1960, alguns pesquisadores começaram a se interessar pelo potencial de despigmentação da substância.

Por meio de experiências que envolviam injeções de cisteamina, os cientistas notaram que havia um clareamento significativo na tonalidade da pele na área tratada. No entanto, era muito difícil transformar o ativo em algum produto de uso tópico, porque ele conta com uma oxidação extremamente rápida em contato com o ar.

Devido a esses problemas, as pesquisas acabaram sendo deixadas de lado. O quadro mudou apenas 50 anos depois, quando a empresa suíça Scientis transformou a cisteamina em protagonista de pesquisas novamente.

O resultado de vários testes em laboratório foi o creme Cisteamine, o primeiro até o momento que contém o ativo. De acordo com a fabricante, o produto é um “corretor intensivo” de hiperpigmentação localizada. Entre suas características vantajosas, estão:

  • ausência de riscos, em paralelo a resultados superiores;
  • boa tolerância fotossensibilizante, isto é, a sua compatibilidade com a exposição à luz, mesmo durante o tratamento;
  • eficiência considerável em poucas semanas de uso.

Por que o Cisteamine está revolucionando o mercado?

O Cisteamine está revolucionando o mercado com um clareador para pele tão potente como a Hidroquinona, mas sem as contraindicações próprias do segundo. A recepção do creme de cisteamina foi tão positiva no meio médico que chamou a atenção da American Academy of Dermatology.

Em 2013, o órgão publicou um artigo que definia o Cisteamine como uma nova referência no tratamento de manchas na pele. A partir de então, outras agências internacionais, como a British Association of Dermatologists, já mostraram pesquisas comprovando os resultados favoráveis do produto.

Benefícios do Cisteamine comprovado em estudo.

Outro estudo foi realizado com 40 pacientes para comprovar os benefícios da Cisteamine. Esses 40 pacientes foram divididos em 2 grupos. Um dos grupos recebeu o tratamento com creme de Cisteamine e o outro grupo recebeu um tratamento placebo.

O creme de Cisteamine foi aplicado sobre a região das manchas uma vez ao dia antes de dormir. O grupo placebo aplicou um produto sem ação terapêutica sobre o clareamento da pele. Após esse período, avaliou-se os benefícios do uso de Cisteamine como despigmentante da pele. O estudo concluiu que houve significativa redução da quantidade de melanina nas regiões hiperpigmentadas.

Diante de todas essas informações, agora você sabe qual é a função do clareador para pele e por que o Cisteamine é inovador. Como vimos, cada tipo de pele tem suas particularidades que fazem muita diferença na escolha do produto ideal, portanto, é muito importante consultar um médico especialista para não errar no produto.

O conteúdo foi útil? Então, assine a nossa newsletter antes de ir! Assim, poderemos enviar e-mails avisando você de publicações interessantes como esta.

Você pode gostar...

Comentários no Facebook