Produto para queda de cabelo: o que você precisa saber

A queda capilar é um problema comum, mas nem por isso é bem-vindo. Principalmente quando usamos roupas escuras, notar que havia um monte de fios grudados nos ombros e nas costas não é nada agradável, concorda? Sem contar no ralo do banheiro, que sempre entope depois do banho. Ainda bem que existe produto para queda de cabelo!

Bem, mais ou menos! Shampoos, condicionadores ou ampolas antiqueda podem até ser úteis para quem está com queda devido a alguma irritação no couro cabeludo, mas as causas desse problema normalmente precisam ser tratadas de dentro para fora, já que têm a ver com deficiências nutricionais e desequilíbrios hormonais.

É sobre isso que vamos tratar neste texto! Acompanhe e descubra o que provoca a queda de cabelo e o que pode ajudar a combater o problema e, ainda, entenda como os tratamentos antiqueda funcionam!

Por que sofremos com queda de cabelo?

Para começar, você precisa conhecer as causas para entender como se dá um tratamento eficaz. Um detalhe importante é que a queda de fios é normal: diariamente, perdemos de 50 a 100 fios devido ao seu ciclo natural. A queda capilar só deve preocupar se começar a ficar notadamente alta.

Por exemplo, se você observa que o travesseiro está cheio de fios pela manhã ou quando ocorre o descrito na introdução, a situação adquire status de problema dermatológico. E tem até nome: eflúvio telógeno, que pode ser agudo ou crônico. Conheça suas causas!

Algumas doenças

Problemas de saúde que causam distúrbios no metabolismo podem contribuir com a queda de cabelo. É o caso de alterações na tireoide, como o hiper ou hipotireoidismo, e de doenças sistêmicas, como a sífilis e o lúpus.

Certos produtos químicos

Algumas medicações podem levar à queda de cabelo; por isso, preste atenção à descrição de efeitos colaterais na bula. Normalmente, os remédios que se relacionam ao eflúvio telógeno são antidepressivos, anfetaminas e remédios para acne.

Além disso, toxinas presentes em tintas para cabelo e produtos de alisamento podem causar o enfraquecimento e a queda dos fios. Também há estudos indicativos de que o cigarro é um vilão, principalmente por causa da relação entre suas toxinas e o comprometimento da circulação sanguínea.

Deficiências nutricionais

A alimentação se relaciona fortemente com a nossa saúde e aparência. E não estamos falando apenas do ganho ou da perda de peso. Uma nutrição deficiente também altera o crescimento, a textura e o brilho de unhas e cabelos.

Em quadros de eflúvio telógeno, as protagonistas são as carências de vitaminas do complexo B, proteínas, zinco, biotina e silício. A falta de ferro também é bastante relacionada à queda capilar; por isso, pacientes com anemia costumam sofrer com o problema.

Desequilíbrio hormonal

Os hormônios são os grandes responsáveis pelas trocas químicas no organismo. Quando há algum desequilíbrio, todo o metabolismo é afetado, assim como o sistema imunológico, já que há uma dificuldade maior no trânsito de nutrientes e substâncias essenciais para as funções do corpo.

Algumas situações que levam ao desequilíbrio hormonal são:

  • maus hábitos de sono;
  • uso de anticoncepcionais hormonais;
  • gravidez e menopausa;
  • estresse e ansiedade;
  • falta de exercícios físicos.

Hereditariedade

A hereditariedade também contribui com um quadro de queda capilar. A genética tem influência principalmente sobre a perda de cabelo na parte frontal da cabeça — a famosa calvície. O termo médico para o problema é alopecia androgenética.

Maus hábitos

Dermatites e descamações na pele — a temível dupla seborreia e caspa — são tidas popularmente como causas da queda capilar. Na verdade, elas não necessariamente provocam a perda dos fios, mas são problemas que costumam ocorrer simultaneamente e pelos mesmos motivos.

Isto é, uma pessoa que sofre com seborreia provavelmente tem algum mau hábito que também acaba contribuindo com a queda. É o caso, por exemplo, de lavar o cabelo com água muito quente, que danifica a estrutura proteica dos fios, tornando-os mais fracos e quebradiços.

O que ajuda a reduzir a queda de cabelo?

Diante de todas essas informações, você entendeu que um produto para queda de cabelo que age somente na superfície nem sempre é capaz de combater o problema, não é?

Existem medicamentos de uso tópico que trazem substâncias reparadoras. É o caso, por exemplo, do Minoxidil, um remédio amplamente utilizado para o tratamento da calvície. Seu principal objetivo é o de promover a melhora na circulação sanguínea no couro cabeludo.

Já no que se trata de nutrientes, os mais interessantes no controle da queda capilar estão abaixo.

Biotina

A biotina é uma vitamina do complexo B — B8 — presente no farelo de trigo, no fígado bovino, em nozes e amêndoas. A ingestão diária ideal é de 5 a 10 mg, no entanto, a alimentação muitas vezes não dá conta dessa quantidade.

A deficiência da vitamina compromete o sistema nervoso e a saúde da pele de modo geral. Já a ingestão adequada contribui com o fortalecimento dos cabelos, pois os fios se tornam mais resistentes e espessos.

Piridoxina

Outra vitamina do complexo B, a piridoxina — B6 — é encontrada em alimentos de origem animal, como carnes, leite e ovos, e em alguns vegetais, como a aveia e os cereais integrais. Sua maior contribuição para o organismo é na produção de hemoglobina, responsável pelo transporte de ferro.

Desse modo, a carência da piridoxina é uma das responsáveis pela falta de disposição no dia a dia e pelo desenvolvimento do quadro de anemia que, como você já sabe, se relaciona à queda capilar.

Silício orgânico

O silício, por sua vez, é um elemento da família do carbono. Ele ajuda na produção de proteínas estruturais; por isso, é um grande aliado da reestruturação de tecidos, sem contar que garante uma melhoria na síntese de colágeno hidrolisado — uma proteína indispensável para a saúde dos cabelos, das unhas e da pele.

O silício está normalmente presente em alguns órgãos do corpo, como o coração, os rins e o fígado. No entanto, a quantidade costuma decair com o avanço da idade. Desse modo, a suplementação do silício orgânico por meio de produtos manipulados ajuda a preservar seus benefícios.

Como os tratamentos antiqueda funcionam?

Quando você compra um shampoo antiqueda, lê na embalagem uma série de promessas de melhora do quadro em poucas semanas. Normalmente, está indicado que as fórmulas contêm componentes capazes de reparar a estrutura dos fios, como vitaminas e minerais.

A proposta é boa, no entanto, a absorção desses nutrientes pelo couro cabeludo é muito pequena. A fibra capilar também é beneficiada apenas momentaneamente, a partir da hidratação proporcionada à superfície do fio.

Desse modo, podemos dizer que os tratamentos com cosméticos comuns mascaram a queda capilar, mas não a solucionam realmente. Para que o problema seja verdadeiramente combatido, o ideal é buscar alternativas que atuem de dentro para fora — a começar, é claro, por uma alimentação saudável e hábitos que favoreçam a regulagem hormonal.

Porém, os resultados são mais efetivos e visíveis com a suplementação dos principais nutrientes relacionados ao fortalecimento da fibra capilar, como o silício.

Qual é a importância de usar bons produtos para o cabelo?

Vale a pena reforçar a necessidade de contar com bons produtos. Tanto nos cuidados diários como em um tratamento antiqueda, a qualidade deve vir em primeiro lugar. Como você pôde perceber, a fibra capilar é muito sensível a fatores internos e externos.

Tanto é que a exposição ao sol, à poluição ou ao excesso de umidade já é capaz de alterar a abertura dos poros e a saúde da fibra. Para todos esses problemas, há uma linha específica de tratamento.

Pois bem, no que se refere à queda capilar, o princípio é o mesmo. Ela precisa ser combatida com produtos que atuem diretamente sobre as causas e, principalmente, que não promovam o aparecimento de outros problemas, como uma irritação do couro cabeludo.

O uso de produtos com efeitos duvidosos ou que não são adequados para seu organismo e tipo de cabelo pode interferir negativamente a saúde dos fios, mais do que fortalecê-los. Além disso, lembre-se de que a queda de cabelo é um problema dermatológico e, como tal, não pode ser resolvida com cosméticos de uso rotineiro.

Por que contar com ajuda especializada?

É essencial contar com farmácias de manipulação especializadas e com o acompanhamento de dermatologistas. E o grande motivo é que os produtos manipulados são dosados para que haja a nutrição dos fios — são nutracêuticos. Se você busca resultados satisfatórios e duradouros, veja alguns pontos para levar em conta:

  • a experiência dos profissionais e o conhecimento sobre formulações adequadas para o problema;
  • a precisão técnica no desenvolvimento de medicamentos e cosméticos nutritivos, de modo que as dosagens realmente atendam à necessidade da fibra capilar;
  • a valorização da estética como algo intimamente ligado à saúde e ao bem-estar.

Como vimos, nem sempre o produto para queda de cabelo que você compra na loja de cosméticos comum é suficiente. Afinal, o problema precisa ser combatido de dentro para fora, com uma combinação de bons hábitos nos cuidados dos fios e uma boa dose de nutrição — adquirida com uma alimentação adequada e auxílio de suplementação.

Por isso, entre em contato conosco! Somos especialistas em nutricosméticos que ajudam a combater a queda capilar e outros problemas!

Você pode gostar...

Comentários no Facebook